terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Aracne, a artesã



Aracne era uma bela moça, filha de um tintureiro de lã na cidade de Colofon, e por isso bordava e tecia, tendo um grande talento para essa arte. À medida que Aracne foi tornando-se adulta, sua arte também se aperfeiçoava, e logo seus trabalhos eram disputados por todas as mulheres da cidade. Algumas mulheres vinham de longa distância para ter uma peça bordada da artesã e todas comentavam sobre a beleza de seu trabalho.

Atena, a deusa protetora das obreiras e artesãos, teve conhecimento de que todas as mulheres consideravam os bordados de Aracne melhores do que os seus. Como Deusa das Artes, Atena foi desafiada numa competição de destreza. Ambas trabalhavam com rapidez e habilidade.

Quando as tapeçarias ficaram terminadas, Atena admirou o trabalho impecável de sua competidora, mas ficou furiosa porque Aracne ousou ilustrar as desilusões amorosas de Zeus, pai de Atena, em sua tapeçaria. O tema de sua tapeçaria ocasionou a ruína de Aracne. Atena ficou furiosa e destruiu o trabalho de Aracne, transformando-a em aranha, condenada para sempre a tecer.

********************

O mito de Atena e Aracne mostra o comprometimento de julgamento, quando se esquece da questão principal para se preocupar com detalhes alheios aos fatos. Como defensora categórica do pai, Atena pune Aracne por tornar público o comportamento ilícito de Zeus, sem questionar o desaforo do próprio desafio.

Irritada, Atena transformou Aracne em uma aranha, mas imediatamente, Aracne começou a tecer um lindo manto de seda, cujos fios ela produzia em si mesma. E contando agora com muitos braços, tinha muito mais agilidade. E ainda que Atena tenha tentado prejudicá-la, seus talentos se multiplicaram.


Mesmo que os obstáculos da vida venham a nos transformar, são eles que devem servir de incentivo, para que possamos aprimorar nossos talentos. Mas assim como o mito, recorda que devemos nos ater apenas ao essencial, sem nos preocuparmos com fatos subjacentes que em nada acrescentam. E jamais devemos nos deter diante dos fracassos ou das injustiças, mas devemos prosseguir com fé e confiança em nós mesmos, e assim podemos tecer o melhor curso de nossa história.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Aracne errou ao ser arrogante a ponto de usar seu talento, um bem precioso, para humilhar um adversário. Pior, ela quis humilhar uma pessoa que tinha todo o poder para reagir e puni-la por sua prepotência. O talento e a arte não devem ser usados de forma imprudente, mas há pessoas iguais a Aracne que não aprendem que a habilidade artistica, posição social, beleza ou qualquer outra característica não devem ser usados de maneira fútil.

    ResponderExcluir
  3. Aracne era muito arrogante. Todos têm talentos especiais, porém, ao usar esse talento para o mal, erra, pois quando se recebe um dom, deve ser usado de forma prudente e cuidadosa, sem se achar melhor que alguém. A beleza não deve ser utilizada como arma, mas deve ser bem cuidada, sem se vangloriar com ela.

    ResponderExcluir
  4. Esse mito trata do Idealismo vs Materialismo. Aracne utilizava sua arte pata reproduzir coisas banais e também julgou mal os Deuses, principalmente Zeus, que simboliza o inconsciente ou, melhor, o self. Ao desprezar o poder do self, Aracne deixa de produzir sua arte baseada no Alto, no transcendente ou divino. Assim, ela abandona o Idealismo e se torna apenas Materialista...

    ResponderExcluir
  5. Esse mito trata do Idealismo vs Materialismo. Aracne utilizava sua arte pata reproduzir coisas banais e também julgou mal os Deuses, principalmente Zeus, que simboliza o inconsciente ou, melhor, o self. Ao desprezar o poder do self, Aracne deixa de produzir sua arte baseada no Alto, no transcendente ou divino. Assim, ela abandona o Idealismo e se torna apenas Materialista...

    ResponderExcluir
  6. E esse Copyright ae? KAKAKAKKAKAKKAKAKA

    ResponderExcluir

Agradeço os seus comentários, críticas e sugestões

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores

Minha lista de blogs

Postagens populares