sábado, 24 de julho de 2010

Páris - o mito do signo de Libra



Quando Páris nasceu, um oráculo previu que o menino seria a ruina do império do seu pai, o rei Priamo de Tróia. Com medo da profecia, o pai condenou o filho à morte, abandonando-o no alto nas montanhas. Porém Páris foi salvo por um pastor que o criou e ensinou-lhe a cuidar das ovelhas. Quando Páris cresceu, tornou-se muito bonito e sedutor e, constantemente, estava envolvido em façanhas amorosas.

No Monte Olimpio havia uma questão entre as deusas Hera - rainha das deusas, Afrodite - deusa do amor e Atena - deusa da justiça, para saber qual era a mais bela. Zeus designou Páris para essa missão, justamente por sua variada experiência junto às mulheres. Sabiamente Páris recusou a escolha pois qualquer decisão colocaria as outras contra ele, mas foi persuadido a aceitar a proposta.

Nos dias anteriores à escolha, as três lhe fizeram propostas, caso fosse escolhida. Hera ofereceu-lhe o império do mundo; Atena prometeu fazer dele o melhor guerreiro; Afrodite ofereceu-lhe a taça do amor, prometendo-lhe a mulher mais linda do mundo. Páris era jovem e não tinha outros interesses, senão as mulheres. Assim, Páris escolheu Afrodite e sua recompensa foi Helena, a esposa de Menelau. Preteridas e humilhadas, Hera e Atena delataram a traição de Helena e com a fúria de seu marido foi conflagrada a Guerra de Tróia que terminou com a destruição total da cidade. Mais uma vez, o oráculo confirmou suas profecias.

********************

Páris representa o primeiro grande desafio da vida para o desenvolvimento individual: a escolha no amor, que não restringe a escolha entre duas pessoas, mas aos nossos valores uma vez que nossas escolhas nos remete ao tipo de pessoa que queremos nos tornar. Páris escolheu com imaturidade vinculando-se aos seus desejos e não à sua pessoa. É o livre arbitrio e a compulsão instintiva.

As consequências das escolhas são muitas e afetam todos os níveis da vida. A escolha compulsiva de Páris resultou na destruição de Tróia. Ele não decidiu errado mas não estava preparado para discernir entre os apelos eróticos e a gravidade de possuir a esposa de outro homem. Também não sabia avaliar os poderes que teria como grande guerreiro e imperador do mundo.

Isso mostra que às vezes diante dos desafios da vida temos de estar preparados para fazer nossas escolhas de forma responsável. Se não aprendemos, podemos culpar o destino ou por a culpa em alguém, sem perceber que os fracassos podem ocorrer exclusivamente pela nossa falta de reflexão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço os seus comentários, críticas e sugestões

Related Posts with Thumbnails

Quem sou

Nascida em Belo Horizonte, apaixonada pela vida urbana, sou fascinada pelo meu tempo e pelo passado histórico, dois contrastes que exploro para entender o futuro. Tranquila com a vida e insatisfeita com as convenções, procuro conhecer gente e culturas, para trazer de uma viagem, além de fotos e recordações, o que aprendo durante a caminhada. E o que mais engradece um caminhante é saber que ao compartilhar seu conhecimento, possa tornar o mundo melhor.

Seguidores

Minha lista de blogs

Postagens populares